quarta-feira, 21 de abril de 2010

Ah, mas ela era uma flor tão orgulhosa...


 art de diegocl02-DeviantarT


- Adeus -disse para a flor.
Mas ela não lhe respondeu.
- Adeus - repetiu o principezinho.
A flor tossiu. Mas não era por causa da constipação.
- Fui muito parva - acabou finalmente por dizer.
- Desculpa. Vê se consegues ser feliz.
Ficou espantado por ela não se pôr com recriminações.
E para ali se deixou ficar, totalmente desconcertado, de redoma no ar.
Não conseguia compreender aquela mansidão, aquela calma.
- Porque é que estás tão admirado?
É evidente que eu te amo - disse a flor.
- Nunca o soubeste, por culpa minha.
Mas isso, agora, já não tem qualquer importância.
Olha que tu também foste tão parvo como eu.
Agora vê lá se consegues ser feliz...
E deixa essa redoma em paz. Já não a quero.
- E o vento?
- Não estou tão constipada como isso...
O fresco da noite há-de fazer-me bem. Sou uma flor!
- E os bichos?
- Duas ou três lagartas terei eu de suportar se quiser saber
como são as borboletas.Parece que são tão bonitas!
E, se não forem elas, quem é que se lembra de me vir cá visitar?
Tu, tu hás-de estar bem longe.E os bichos maiores, não tenho nada a recear.
Afinal, para que tenho eu as minhas garras?
E mais uma vez exibia ingenuamente os seus quatro espinhos.
Depois, ainda disse:
- Não fiques para aqui a empatar, que me irritas!
Não te resolveste ir embora? Pois então vai !...
Porque ela não queria que ele a visse chorar.
Era uma flor tão orgulhosa...




Antoine de Saint-Exupéry

11 comentários:

Pétala disse...

Ele achava que a flor era orgulhosa? Pois eu não acho. Acho que ela era muito corajosa, isso sim. De mandar embora alguém que ela amava, já que não adiantava tê-lo por perto só como amigo. Também acho que ela tinha medo de sofrer ainda mais quando encarasse seus olhos de pena. Você deseja que a pessoa que você ama te olhe com desejo, com amor, e não com pena. Detestava esse livro quando era pequena, e sabe? Ainda o detesto hoje, kkkkk. Porque hoje entendo a rosa perfeitamente...

Beijos e pétalas.

Penelope... disse...

Adoro O Pequeno Princípe.
Principalmente a parte da raposa!
Mas essa é linda também!!!



Beijos

Wilson Torres Nanini disse...

Nunca me canso de me deparar com esse Pequeno.

Abraço.

Eliana disse...

Foi o tempo dedicado a ela que a fez tão importante...

Minha Vida disse...

Boa semana para você.
bjo

* Mari Sottomaior disse...

Orgulho nunca é bom, nos afasta de quem gostamos. :/

Rosemildo Sales Furtado disse...

É exatamente esse orgulho que atrasa e inferniza a vida de muita gente.

Belo texto, muito profundo. Linda escolha.

Beijos e fique com DEUS.

Furtado.

TeenTação disse...

lindo o que vc escreveu...realmente o orgulho é um dos sentimentos mais pessimistas que existe...Bjim..passa lá pelo blog.te esperamos.ah,amamos o seu blog..muito inspirador

Luna Sanchez disse...

Essa fábula me dá uma tristeeeeeza! ¬¬

Bom fds!

Beijo, beijo.

ℓυηα

Jeh*~ disse...

Eu estava lendo esse livro esses dias,e eu estou com um coração quebrado,por alguem ter dito adeus,e foi uma super coincidencia,porque,eu chorei nessa parte que você postou.haha'Enfim,eu não acho ela orgulhosa,acho que ela só não foi egoista de pedir para que ele ficasse e desistisse de algo que ele queria. :)

Erica Vittorazzi disse...

Ah, O Pequeno Príncipe... sei de cor.
E sempre me escapa um sorriso quando o leio de novo.

BEIJOS