segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

e assim vai

Uma paixão aqui, um quase-amor ali.
Ainda bem que existem amigos para amar, abraçar, sorrir,
cantar, escrever em recibos e tirar fotos bonitas.
E a vida segue. Feliz.
Sua imaginação te preenche, seus amigos te dão colo,
vodka e dias incríveis.

Aí do nada ele surge. Ele. Ele que é diferente de tudo.
Ele que é tudo. Mas tudo não existe. Ele sim. Ele existe.
E gosta de música romantica, de praia, de palavras simples e café na cama.
Ele que é lindo. Vocês estão ouvindo?
LINDO! infinitamente lindo por dentro.
Que tem sonhos molhados, planos no varal e o coração atirado na mala.
Ele que não se parece com nada. Ele que combina comigo.
E não tem medo. Será que estou sonhando?
ELE NÃO TEM MEDO! (...)
E eu sinto que quero estar com ele. Agora.
Quero viver com ele na casa de armário pequeno, ter uma filha
que não se chama Maria e viver de amor. Sem medo.
Sem planos a longo prazo. Vou viver e ser. Vou viver, ser e amar.
Vou viver, ser, escrever e amar. Com ele. Até o fim.

Martha Medeiros

2 comentários:

Marcela Alves disse...

E o pior é que é a pura verdade.
Eu adorei esse texto, é exatamente assim que acontece.. ahuahuahu

muuuiiitoooo bom!

beijo

LUZIA disse...

É deste amor que todos nós queremos e precisamos.

Lindoo!!

Bjos.