quinta-feira, 15 de outubro de 2009

não é um xuxuzinho?=D

O meu amor, o meu amor, Maria
É como um fio telegráfico da estrada
Aonde vêm pousar as andorinhas...
De vez em quando chega uma
E canta
(Não sei se as andorinhas cantam, mas vá lá!)
Canta e vai-se embora
Outra, nem isso,
Mal chega, vai-se embora.
A última que passou
Limitou-se a fazer cocô
No meu pobre fio de vida!
No entanto, Maria, o meu amor é sempre o mesmo:
As andorinhas é que mudam.


Mário Quintana(adoro)

3 comentários:

Cris Teles disse...

Sou fascinada por Mário Quintana!!
Quanta leveza e sabedoria!
Parabéns pelo texto!
Beijos!!

Rosemildo Sales Furtado disse...

É, o Quintana que se cuide e fique de olho na Maria dele, além das andorinhas, existem o curió, o rouxinol, o sabiá, etc.Rs,rs.

Beijos,

Furtado.

Noemyr disse...

Adorei esse texto do Quintana =)
Ele escreveu grandes coisas mesmo ^^
Beijokas :*